Pesquisar este blog

quarta-feira, dezembro 26, 2012

Sem palavras...

sábado, outubro 13, 2012

Fumaça

Eu e a fumaça acabamos
De fazer amor pelos ares
Tentei acompanhá-la, mas...
Sou pesado mesmo assim, muito quente,
Além de ter os dois pés fincados no chão
Ah, Fumaça!
Substantivo indescritível
Esvai-se, voluta
Volupta
E eu quero mais...

Agora só respiro
Suspiro
Só.

segunda-feira, agosto 06, 2012

Horizonte indeciso


As madeiras paralelas encontrando-se no infinito
O som intermitente das ondas sem ritmo batendo
E minha vida lá na frente
Pista de pouso
Num horizonte indeciso,
                    qual tipo de reta vou me tornar

quarta-feira, outubro 05, 2011

Gosto de framboesa

Este ser que me sufoca só pode ser imundo. Uma possessão! Talvez seja a melhor definição. Como um demônio, toma conta do meu corpo, modifica minha voz, domina minha razão, pressiona minha cabeça e prostra-me com o rosto nos lençóis. Sob meus olhos, uma maquiagem fúnebre deixa-me com jeito de zumbi. As pessoas olham para mim com cara de nojo, lastimando serem minhas conhecidas.

Preciso de ajuda para expulsar de mim essa coisa! Do contrário, este ser imundo e repugnante tomará conta de minha alma e transformará meu corpo por inteiro.

Um anjo surge com um líquido vermelho. Seria sangue? Estarei transformando-me em algum vampiro? Bebo e é doce. Sabor framboesa, diz-me o anjo a sorrir. Bebo como quem beija. Boca vermelha, primeira delícia nesta manhã de inverno.

Mais tarde, ao tentar respirar fundo, sou impedido pelo ser repugnante, que não me deixa chegar ao fim da minha respiração. Eu queria apenas dar um suspiro, mas não! Enfureço-me e todo o meu corpo, com uma força fora do comum, resolve expelir o demônio numa tosse. Sinto como que um pedaço de carne passando pela minha garganta e invadindo-me a boca. Com nojo, cuspo no chão a parte daquilo que me sufoca. Não identifico o quê, mas sei que é verde e tenta me matar. Ao vê-lo imóvel, depois de um surdo baque, sinto alívio por vê-lo fora de mim. Sei que há muitos pedaços verdes para expelir ainda, mas já consigo dar o primeiro suspiro em paz e começo a sonhar com o anjo do beijo vermelho com gosto de framboesa.

04/out/2011

quinta-feira, setembro 22, 2011

ilhas

Com a internet, as pessoas começaram a tornar públicos os seus medos, os seus anseios, as suas ideias, as suas teorias. Com isso, muitos solitários encontraram amigos com quem compartilhar seus delírios...
E começaram a formar ilhas de solidão.

quinta-feira, agosto 04, 2011

Estamira no canal Brasil

quem puder assista, hoje, 16h40, no canal Brasil, o documentário ESTAMIRA e sinta um pouco de poesia de onde ninguém imagina que poderia sair.
O diretor esta de parabéns pelo belo e terno filme.

Wallace Fauth