Pesquisar este blog

domingo, março 11, 2007

REVÓLVER II

Tem um jornal ali fora
Olhando pra mim
Sei disso
E não quero saber de mais nada

O jornal, o sol, o plástico
O dia que vai indo
E eu não sou capaz…

Nada, na minha vida, aconteceu porque eu quis
Nada, na minha vida, aconteceu…
Na minha vida… Nada

Grito! E mandam-me calar
Achei que o grito era o que me restava
Nem isso!

Vou arranjar um revólver
Para poder gritar pelo cano

Eu só queria que respeitassem
Esse meu modo de sentir.


sábado, março 10, 2007

PUNHETA

Nessas horas, minha merda
Cheira a frutos do mar
Não porque eu os tenha comido
Mas porque produzo em mim
Meus própios prazeres
Meus sonhos, minha vida
Minha merda…

Tudo meu em mim mesmo
Em egoísmo próprio
De mim mesmo e para mim mesmo
Como quem se mata!
(Prazer solitário)

É tudo tão triste…
As coisas parecem ser tão ruins…

Mas estou aqui e gozo!
Gozo gostoso
Mais gostoso do que muita gente
Que não goza
E acha que a vida é assim
Mesmo…

Sem vida