Pesquisar este blog

quarta-feira, agosto 29, 2007

Cães

Oito ou oitenta?
Setenta vezes sete
Meia, meia, meia
Cães adoram meias
E eu, como bom moço,
Adoro cães.

Tempo

Dividiram o mundo em séculos…
Mesmo assim os atravessei
Não é fácil, eu sei!
Não é fácil mesmo!
Dizem que tudo vai acabar
Bombas ameaçam tudo explodir
A gente vai ficando triste
Muito triste
Mas nenhuma bomba explode
E o mundo continua assim:
Vai, não-vai, vai, não-vai…
E nesse ir-e-vir vejo séculos passando
Não muito diferentemente dos anos
Dos dias
Das horas
E cada segundo meu é demais!
(sem blasfêmias: sei do tempo de Deus)

sábado, agosto 25, 2007

Mãe de Deus

Um dia
Tanto fez
A nossa Maria –
Mãe do Menino Jesus...
Beijei-lhe a boca!
Ela queria mais,
Mãe que era...
Não resisti.

Nenhum Jesus Nasceu.

Outro dia
A nossa Maria –
Agora Nossa Senhora Respeitável...
Pedi-lhe a boca!
Assim fez, como se quisesse paz:
Embarcar dali mesmo – o cais.

Nenhum Jesus ia nascer.
Nunca mais...

Os barcos pairavam
Luzes artificiais nas águas –
mais bonitas...
Luas, luas e mais luas naquele porto
De sol a sol, todos os dias
Sem ninguém.

Só Maria ali
Imóvel a olhar navios –
Nossa Senhora Minha
Mãe de Deus
Amém!

quarta-feira, agosto 15, 2007

Mulheres

As mulheres são tão bonitas!
(Como conseguem conversar com homens?)
O olhar escondido entre os cabelos
Os versos que saem dos seus gestos
E essa infinidade de pensamentos
Tão pequenos… Tão pequenos…
Mas tantos, tantos e tantos…
Que juntos formam a copa de uma árvore!
A árvore mais linda que se pode ver
Quando a gente olha pra cima
Contempla o céu sereno
E essas folhinhas vibrando à luz do sol que vai…