Pesquisar este blog

domingo, novembro 25, 2007

Ritmo do dia

Você acorda, manhãzinha, e qual é a primeira coisa que faz?
A primeira coisa que pensa?
Arrumar-se? Tomar o remédio?
Um possível atraso?
Eu penso em mim
Em meu corpo
Naquilo que sou
Entro, então, no ritmo do dia
E seja o que Deus quiser!

quinta-feira, novembro 15, 2007

A moça no banco de trás do táxi

A moça no banco de trás do táxi
Olha
Através dos meus olhos
Bem dentro de mim
No outro carro, na outra vida.
Nada há que interesse em nós
A não ser essa devassa
Que cada um faz no outro
Sem ver nada porque nada há.
Tenho dentro de mim muitas coisas
Essas coisas todas: minha riqueza –
Um baú de jóias das mais raras
Das mais brilhantes.
Com medo de ser roubado, apago a luz
Sei que ela nada enxerga, agora,
Porque também apagou a sua luz
E o que vemos agora é só um desafio:
O que há? O que é? O que houve?
Por quê?
A única luz que acende
É a verde – um farol.
Ela segue em frente
E eu estaciono poema.