Pesquisar este blog

sábado, setembro 25, 2010

Fósforo

Vou fazer um café pra você, meu amor

Minha cabeça fria
Meu corpo numa caixa
Dezenas de companheiros iguais a mim
Alguns já se foram!
Agora somos uns vinte
E eu continuo aqui
Dando risada dos sisudos
Cabeças-de-vento -
Em breve cabeças-de-fogo -
Explodidas por estresse daquele ser
Que, sem necessidade, queima três fósforos
Para acender uma mísera boca de fogão
Que vai esquentar a água
Do "meu" café.

Como se fósforos bebessem café.


[18/09/10]

sábado, setembro 18, 2010

Gullar

Meu coração bate forte
Porque daqui a pouco
Terei em minhas mãos
Um livro de poesias
De um poeta de verdade
E vivo ainda!
Estou feliz de viver no mesmo mundo
De Ferreira Gullar
De Manoel de Barros
De Chico Buarque
De Roberto Piva (que foi embora há pouco - que pena!)
Além disso,
Vivi o Vinícius
E agora escuto, enquanto escrevo:
"E se hoje ele é branco na poesia
Ele é negro demais no coração!"

Amo minha vida!

[18-9-2010]
Minha árvore está sofrendo. Pensei, no começo, que estava queimada e triste, entretanto percebi que as partes amarelas eram sementinhas.

Fui até lá, bem pertinho da minha árvore, e vi que havia sementinhas verdes e amarelas - minha árvore brasileira - e que por isso ela estava pesada. Para mim, minha árvore está sofrendo. Vejo nela um peso que não é dela. E ela sofre, sim. Nada posso fazer, pois é da natureza das árvores oferecer frutos, por mais que pesem na sua vida.

Minha árvore está com cara de velha mal cuidada, como quem acha que vai morrer mesmo e deixa de se cuidar. Aos oitenta anos perde-se, muitas vezes, a vontade de ficar bonita. Para quem?

Mas minha árvore não raciocina. E se ela está feia agora, com certeza não sabe disso. E ela passou a ter uma beleza maior quando percebi que ela estava assim por causa dos seus frutos.

Minha árvore está grávida! E não posso deixar de registrar o meu ciúme. Não é brincadeira. Eu queria ser o pai de todas aquelas sementinhas, mas eu não sei como transar com uma árvore.

Dizem os espíritas, a respeito da evolução dos espíritos, que primeiro tu és pedra, depois planta, depois animal irracional, depois homem e fica voltando várias vezes para ser cada vez melhor, para aprimorar-se... Não concordo! O que devo fazer para voltar a ser árvore?

Amo minha árvore!

[18/09/2010]

domingo, setembro 12, 2010

Nunca pensei que conheceria pessoa para quem o dinheiro pudesse fazer as vezes de Deus. Não confio a minha vida a nenhum dos dois, pois, por ser sagrada, minha vida é só minha.

Não sou imortal quanto às adversidades, mas sairia muito bem de uma mina escura a 700m de profundidade depois de pacientes três ou quatro meses de espera. Claro, não é o mundo que se pede a Deus, mas sabendo poder beber água e exercitar-se um pouco, a parte básica da vida garantida, não há mais o que pedir a Deus. O resto é com a gente!

Aliás, tudo é com a gente. Deus só entra aqui como personagem de ficção do inconsciente coletivo. Ficção, aliás, muito bem vinda.

Adoro transar com Deus. O Diabo é mais quente e dá mais prazer, mas com Deus, sei lá! Não sei explicar... O sexo é meio frio, mas as carícias são muito mais intensas e sempre fica uma lembrança muito boa dessas nuvens. Uma paz muito grande poder gozar bem lá dentro do útero de Deus!

Já com o Diabo, não sei... Dá sempre vontade de tirar o pau e gozar na cara dele. E ele gosta! E eu me sinto bem subjugando-o. Fazemos um casal perfeito, mas disso não fica nada. Sou mais a língua de Deus brincando, subindo e descendo, acariciando o instrumento de injetar vida. A mesma língua divina que umedece a entrada do útero.

Que bom que Deus é assim, homossexual, pois toda a humanidade tem um só sexo e sabe que, por mais prazeroso que seja transar com o Diabo, somos mais livres quando aprendemos a dar o cu para Deus. E pra isso nem é preciso ter sexo.
[12-9-2010]

Bancos

Quero visitar alguns bancos
Falar com cada gerente
Assinar os melhores planos
Respeitando, é claro, o que tenho.
Abrir, primeiramente, uma conta
No banco de olhos:
Exigir letras grandes para todos os contratos.
No banco de sangue:
Exigir sempre taxas mínimas
E extratos à vontade.
No banco de sêmen:
Fechar a conta
Por conta dos prejuízos futuros
(Já cheguei ao máximo dos meus ganhos)
[12-9-2010]